Sonhos e a psicoterapia

É durante o sono que ocorre um fenômeno peculiar, o sonho. Dormir bem é fundamental para uma vida saudável. No período em que dormimos mu...

É durante o sono que ocorre um fenômeno peculiar, o sonho. Dormir bem é fundamental para uma vida saudável. No período em que dormimos muitos hormônios regulam nosso metabolismo quimicamente. Dormir mal reflete na dificuldade em baixa concentração, déficit de memória, rebaixamento na concentração e motivação, alteração no humor e queda na imunidade, por exemplo.

É através do sonho que os conteúdos do inconsciente encontram um caminho para se expressar diretamente. Por serem experiências puramente endopsíquicas, os sonhos não são organizados pelas leis que regem as nossas vivências conscientes. O tempo, o espaço, a gravidade, a matéria, todos são perfeitamente maleáveis, e por vezes, inexistentes dentro de um sonho.

Os sonhos são compostos em geral pelos conteúdos do nosso inconsciente, e entre estes conteúdos, guardamos alguns resquícios das vivências do dia anterior e que talvez passassem despercebidos pela consciência e relegados ao nosso inconsciente. Estas percepções, em conjunto com sentimentos e pensamentos podem reaparecer durante os sonhos.

http://veja2.abrilm.com.br/assets/images/2011/8/44740/sono-pesadelo-parkinson-20110801-size-598.jpg?1312217943O sonho funciona como um regulador do equilíbrio psíquico. Podemos afirmar que seu significado principal, segundo Jung (1961), é estabelecer uma relação entre a vida consciente e a inconsciente. As imagens oníricas, do sonho, são símbolos que ligam à consciência do sonhador a aspectos não percebidos dos acontecimentos em que não tomou contato direto quando desperto, segundo Grinberg (2003, p.116).


Cada sonho é único, pois cada sonhador constrói o seu prórpio roteiro com significados diferentes e sequências. O objetivo de um símbolo quando aparece em um sonho, é o de que seu significado seja assimilado pela consciência.

Os tipos de sonhos: 

Grinberg (2003, p. 199-220), distingue os sonhos:
* atitude consciente, quando a consciência diante do fato está unilateral, a compensação costuma ser mais evidente. Ocorre uma franca oposição à atitude consciente, surgindo os pesadelos ou sintomas. 
* moderada, quando a consciência estiver moderada nas situações da vida, ocorrem sonhos com modificações sutis e caso a consciência não registre a mensagem do sonho, este, pode repetir-se alertando o sonhador.
* adequado, quando a atitude consciente for adequada e aceitável ao sonhador, a compensação pode até coincidir com o seu significado, enfatizando tendências e conteúdos da consciência reforçando atitudes conscientes.

 Jung (1975) distingue ainda os sonhos entre:
* pequenos sonhos, sonhos que surgem a partir dos símbolos e resquícios de vivências conscientes, presentes no inconsciente pessoal.
* grandes sonhos, sonhos cujo conteúdo é proveniente do inconsciente coletivo, com a presença de temas e imagens arquetípicas (a morte, o sábio, fênix e outros), indicam profundas mudanças na personalidade consciente do indivíduo por facilitar e mobilizar o crescimento pessoal em direção à ampliação da consciência de si mesmo. Estes sonhos, geralmente aparecem em períodos críticos do desenvolvimento pessoal.
* sonho premonitório, no qual o inconsciente gera um sonho que alerta o indivíduo para os perigos que nossas atitudes conscientes representam à sua integridade. É uma forma peculiar de compensação da atitude consciente. Vale lembrar que não estamos nos referindo a nenhum presságio de ordem mística, mas sim à capacidade intuitiva do inconsciente de perceber o perigo que as atitudes conscientes do indivíduo lhe traz.
O norte americano Dr. Stephen LaBerge, (1985) Ph.D. em Psicofisiologia, traz suas contribuições largamente difundidos e cientificamente validados, quanto ao:
* sonho lúcido, em que durante o sonho temos a percepção de certo controle de nossas ações e pensamentos.

A importância do sonho na psicoterapia:

Os sonhos é a expressão do inconsciente, e nele está tudo aquilo que a sociedade culturalmente ensina a reprimir, ora por “educação” ou ora por defesa pessoal, fugindo e evitando um sofrimento maior, por exemplo. Assim, os sonhos têm um papel importante dentro do processo terapêutico, facilitando a integração de aspectos indesejados do sujeito.

Postagens relacionadas

Tratamento 5398636884649662672

Postar um comentário

emo-but-icon

Encontre-me no Facebook

Divulgue nossos textos

Últimos artigos

Psicóloga Carla Ribeiro. Imagens de tema por Jason Morrow. Tecnologia do Blogger.

+Lidos

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Endereço e contato

Consultório de Psicologia em Santos
Av.: Conselheiro Nébias, 444 - conj. 1709
Encruzilhada, Santos/SP
CEP 11045-000
Telefone: (13) 3301-9055

Total de visualizações

item