Sexo no pós parto

A maternidade é mágica, ao admirar seu bebê ali diante de seus olhos, ele tão perfeito, saudável e frágil que não há outro desejo, se nã...


A maternidade é mágica, ao admirar seu bebê ali diante de seus olhos, ele tão perfeito, saudável e frágil que não há outro desejo, se não despender de toda energia que lhe resta para dedicar-se a ele. Os hormônios reforçam este desejo, pois com o aumento da prolactina diminui drasticamente a libido da mulher para garantir total atenção da genitora e canalizar toda sua energia a ponto de esquecer-se de si mesmo diante das noites em claro, na tempestade de preocupações, de amamentar, choros, fraldas, golfadas... o marido lhe procura e você pensa, como reatar a relação sexual?


O período logo após o parto é chamado de puerpério, tecnicamente dura de 6 a 8 semanas e só termina com o retorno das menstruações. Nesta fase são grandes as modificações psicológicas e físicas que acontecem. A nova mamãe frente a seus novos afazeres tem a chance de se identificar com sua nova identidade, a função materna. Por mais que tenha se preparado para a maternidade e decorado diversos livros, é normal sentir-se insegura, incomodada e por vezes até triste. 


Sim! Você não é uma péssima mãe por sentir-se, por vezes triste. Respire fundo e não se culpe tanto. Há um ser totalmente dependente de você, principalmente se estiver amamentando, seu corpo ainda não se recuperou, a pele e a musculatura ainda estão flácidos e levará tempo para recuperar suas curvas. 


A relação sexual dói, se após o parto normal, tenha cuidado pois o revestimento da vagina fica mais fino e menos lubrificado, na prática, é como se fosse sua primeira vez novamente. O tempo médio para atingir o orgasmo está estimado em sete semanas pós-parto (Sydow,1999). Além disso, o fato da mulher experimentar desconforto e dor durante a penetração, causa pouca ou nenhuma motivação para a atividade sexual coital, diminuindo a frequência em ocasiões subsequentes, chamada de dispareunia. Tenha paciência, vai melhorando com o tempo, é uma fase!


O impacto que a dor e desconforto (dispareunia), em média, dura até seis meses após o parto e faz com que as mulheres criem expectativas negativas face à experiência de sexo com penetração. A dispareunia se desencadeia enquanto fator físico, e pode facilmente tornar-se um fator psicológico, sendo um bloqueio na relação, prejudicando a relação a dois causando um afastamento no casal, por isso, atenção, não tenha vergonha, o diálogo deve existir.


Converse com seu companheiro, explique tudo o que você sente, busquem juntos, explorar outras formas de prazer, pois é possível ter uma vida sexual saudável. Convide-o à acompanhá-la na consulta do pós operatório em seu ginecologista, assim, você e seu companheiro poderão fazer todas as perguntas que quiserem e ter as respostas com riqueza de detalhes diretamente do profissional.

__________________

Von SYDOW, K. (1999). Sexuality during pregnancy and after childbirth: A metacontent analysis of 59 studies. Journal of Psychosomatic Research, 47, 27-49.

Postagens relacionadas

Relacionamento Familiar 968578221438364724

Postar um comentário

emo-but-icon

Encontre-me no Facebook

Divulgue nossos textos

Últimos artigos

Psicóloga Carla Ribeiro. Imagens de tema por Jason Morrow. Tecnologia do Blogger.

+Lidos

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Endereço e contato

Consultório de Psicologia em Santos
Av.: Conselheiro Nébias, 444 - conj. 1709
Encruzilhada, Santos/SP
CEP 11045-000
Telefone: (13) 3301-9055

Total de visualizações

item