Mania de cutucar escoriação psicogênica

Quem nunca espremeu ou cutucou a pele por uma espinha, que atire a primeira pedra! Apertar-se é um comportamento muito comum com início ...


Quem nunca espremeu ou cutucou a pele por uma espinha, que atire a primeira pedra! Apertar-se é um comportamento muito comum com início já na puberdade, afinal os hormônios em constante oscilação propiciam muitas modificações fisiológicas, inclusive espinhas e outras irregularidades na pele. Mas qual é o momento de parar de se apertar?


Se não há um limite e você quer sempre um pouquinho mais, vale a pena entender melhor este comportamento impulsivo, a ponto de provocar lesões na pele em diferentes partes do corpo chamado de escoriação psicogênica e não mais escoriação neurótica, também conhecido como Skin Picking, a mania de se cutucar. O comportamento é considerado patológico quando se torna habitual ou crônico trazendo sentimento de vergonha, disfunção ou prejuízo social, como por exemplo deixar de ir à praia em razão as feridas e manchas espalhadas em toda a pele.

Passar um tempão no banheiro a ponto de perder a noção do tempo e quando se dá conta, lá se foi quase uma hora ou muito mais. Cutucar a pele com uma conduta auto-lesiva, quer dizer, há uma repetição no ato de tocar, cutucar, perfurar, coçar, arranhar ou escoriar a pele. Pode utilizar-se além dos dedos, alfinetes, facas, clipes e lâminas, causando muitas vezes lesões notáveis com infecções secundárias ou cicatrizes profundas de modo intensivo e repetitivo, ocasionando o aparecimento de feridas leves e profundas, cicatrizes e descolorações na pele.

A maior parte dos indivíduos acometidos é do gênero feminino, a estimativa populacional ainda é desconhecida, sabe-se porém que 2% de pacientes que frequentam clínicas dermatológicas sofrem da escoriação nerurótica. Segundo Azambuja (2009) as escoriações decorrem para aliviar o estresse não de uma neurose, mas de um processo mental particular cuja energia é desviada para um gesto impulsivo e repetitivo de esfregar, coçar, arranhar ou arrancar a pele. Para Martelli (2008), a escoriação é caracteriza pelo impulso autoprovocado das lesões, sendo essa a chave do diagnóstico diferencial entre esse comportamento e a doença de pele, dermatite factícia.

Situações que causam o aumento de tensão, ansiedade, pensamentos de autocrítica, tristezas, momentos ociosos, ou o puro prazer em se cutucar motivam a pessoa começar e não saber ao certo a hora de parar em se espremer e a procurar por imperfeições na pele de modo repetido e frequente. Inconscientemente, a emoção passa a ocupar na pele, uma expressão física, as marcas registram as experiências vividas ali em forma de cicatrizes. Para os autores, as autolesões marcam o espaço de uma ferida física e também psíquica, tornando a ferida a totalidade física e emocional, pois no momento em que agride a pele libera a tensão presente no ato, diferentemente de uma doença de pele isolada.

O tratamento inclui avaliação de dermatologista e acompanhamento psicológico através da psicoterapia. Para melhor direcionamento e intervenções psicoterápicas, deve-se aprofundar na compreensão do sofrimento psíquico, considerando seus aspectos de personalidade, seu estado de consciência e aceitação de seu quadro patológico.

Os pacientes com escoriação psicogênica assumem que lesionam a própria pele. Este reconhecimento favorece a inserção desses pacientes em atendimentos psicoterápicos de diferentes modalidades, incluindo a obtenção de possíveis benefícios com a psicoterapia breve. Como critério de indicação para a psicoterapia dinâmica breve, por exemplo em razão da queixa focada para este problema específico.

Azambuja, R.D. (2009). Prurido Psicogênico e Escoriações Neuróticas. In: RAMOS, M. & CASTRO, S.M.C.R. Fundamentos de Dermatologia. São Paulo: Atheneu 

Martelli,A.C. Ipele [online]. 2006.Dermatoses psiquiátricas.São Josédo Rio Preto: [update 2006 utubro 11; citado 2008 maio 13]. Disponívelem:http:// www.ipele.com.br/livro/capítulo. Acesso em: 13/09/2013.

Postagens relacionadas

Transt. de Habitos e Impulsos 8476261189484858975

Postar um comentário

  1. Dra Carla, você já tratou alguém com escoriação neurótica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Amanda, e o mais importante é justamente este resgate de sentidos que a psicoterapia provoca, como resultado proporciona maior consciência e auto percepção dos comportamentos, e justamente no ato de se cutucar o sujeito fique mais atento identificando qual angustia ou ansiedade do momento o conduz ao ato de se cutucar, por exemplo.

      Excluir
  2. eu mexo na pele a exatamente 10 anos, sem perceber já estou cm dedo no rosto e na cbç tirando cascas e exprimindo espinhas, na vdd qlqr casca na pele eu arranco, sei q n é bom e estou lutando bastante pr parar de mexer, tive até infecção grave perto do olho por mexer numa espinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mariana, a psicoterapia cognitivo comportamental facilita, instiga e promove mudanças positivas para mudar estes hábitos, não se trata exclusivamente do ato de se cutucar, mas sim da ansiedade velada que está por trás deste comportamento.

      Excluir
  3. me cutuco a 18 anos, não me olho no espelho a 4 anos por conta das manchas provocadas por mim mesma tenho vergonha ao sair na rua, já pensei em suicídio varias vezes por conta de viver assim (sobreviver).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, a terapia é muito importante, mas pra ir te ajudando com as manchas, fazer uma depilação com gilette, duas vezes por semana, ajuda a ir clareando as machas, as minhas das pernas praticamente sumiram

      Excluir
  4. Me cutuco a mais de anos e não consigo parar pois quando me olho no espelho e vejo pêlos e pontinhos...já era...mexo até ferir....que loucura ...já melhores bastante mas as vezes tenho recaídas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há uma tendência em pioras e recaídas em momentos da vida de maior ansiedade. Por isso não deixe de procurar ajuda presencial e profissional.

      Excluir
  5. A mais de 15 anos que mim cutuco, não sei como para eu não vou a praia, não visto blusas sem manga, e para tira fotos tem que ser a base de fhotoshopp para remover as manchas gostaria de uma ajuda, pois já perdir minha auto estima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim é um comportamento bem rotineiro esconder as manchas da exposição ao julgamentos de terceiros. Se é algo que lhe traz sofrimento busque por ajuda profissional e presencial.

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há outras questões a serem avaliadas Ingrid, nenhuma avaliação será feita através da internet, apenas presencialmente.

      Excluir
  7. Eu me cutuco deste a infância. O pior é que além de tirar ss cascas de feridas eu como elas.

    ResponderExcluir
  8. Eu achei q eu era a única na face da terra...Fazem uns 7 anos q me cutuco tenho manchas horríveis na pele e principalmente nos braços faço de td para cobri-los ,já passei por várias dermatos eu não sou alérgica a nada porem nascem machucados na minha pé e daí entaum eu cutucu.Bom cutucava pois a última dermato q passei me ajudou muito tbm com a parte psicológica e enfim parei de cutucar ,mas as manchas estão horríveis será q eu dia me livro delas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bruh Gomes, só o dermatologista que lhe acompanhe pode tirar essa dúvida.

      Excluir
  9. Excelente texto. Fora procurar ajuda de um psicólogo, que dica a Sra. dá pra se livrar desse vício?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Débora, um dermatologista para avaliar as feridas, tanto para promover uma higienização adequada quanto para auxiliar na cicatrização. Caso haja a necessidade de outros encaminhamentos, ambos os profissionais poderão fazê-lo mediante a particularidade de cada caso.

      Excluir
  10. Dra minha filha de 3 anos não deixa cicatrizar uma picada de pernilongo a três meses, estou preocupada pois ela fica o tempo todo cutucando, isso poder ser problema psicológico ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pela idade dela tudo indica que seja muito mais curiosidade mesmo. Converse sobre o pediatra, tente uma barreira física como uma proteção tipo bandaid colorido após a limpeza adequada.

      Excluir
  11. Eu to a quase 3 anos direto uma luta triste para conseguir ter a pele do rosto que eu quero

    Fico com auto-estima extremamente baixa

    Eu não consigo parar de mexer no rosto

    E isso contando que eu tenho os melhores tratamento possivel

    Nesse exato momento minha auto-estima esta baixa pelo fato de eu ter acabado com meu rosto estourando espinha até sangrar minha pele

    Agora vou tratar minha pele para melhorar o aspecto até as manchas sair um pouco isso durará mais o menos 1 semana ja que eu tomo 3 litros agua por dia, pratico esporte,tomo cha verde, passo sabonete dermatológico no rosto passo creme enriquecido com vitaminas C e D faço microagulhamento derma roller passo até gelo no rosto para eu melhorar todos os dias isso exceto o microagulhamento que é 1 vez por semana

    E isso me ajuda mtttttt a pele ficar com boa aparência mais ajuda msm

    Porém isso dura até chegar a nascer uma espinha eu tento me segurar para não estourar porém me dar sensação de impulsão de impaciência de preocupação eu sei q se eu mexer eu irei acabar com meu rosto

    Resultado acabei com meu rosto sangrando e td marcado gravemente

    Ai eu retorno aos tratamento e sempre se repete de eu mexer novamente

    Essa sensação de aguardo para ter esse rosto bom que sempre desejo acaba cmg

    Única coisa que eu queria é parar com essa mania infernal

    De cutucar no rosto

    Era só isso q eu queria...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Concerteza vou fazer. Até agora não consigo parar é muito ruim mesmo to acabando com meu rosto, ontem mesmo, meu rosto tava até bonzinho

      Porque eu conseguir ficar 9 dias sem cutucar (praticamente um recorde)

      Ja que eu tinha excluído o espelho da minha rotina

      Mais eu não aguentei ficar todo esse tempo sem mexer no rosto
      Porém eu não queria detonar meu rosto ja que é um sacrifício pra essas feridas cicatrizarem, para eu em pouco segundos acabar com toda essa conquista que eu aguardei...

      É tipo uma luta na qual eu sempre me arrependo de ter mexido no rosto

      Mais eu ajo por instinto

      Eu sou muito convicto do que tenho que fazer

      Tem vezes que me xingo e me cobro na frente do espelho quando estou prestes a cutucar no meu rosto

      Mais sempre queimo minha língua e não cumpro minha palavra que não mexerei mais

      Deve ser isso que abaixa a minha auto estima a falta de pulso e persistência ou então algum distúrbio que eu tenho infelizmente

      Só sei que é um alívio quando eu estouro um cravo tem vezes que me "empolgo" como se fosse um viciado em drogas e acabo com todas as espinhas do meu rosto até os que não se desenvolveram ainda

      Mais no mesmo momento é um arrependimento enorme

      Excluir
  12. Eu faço isso des da financia. Quando me distraio estou puxando aquelas peles dos dedos. Faço isso des de criança e é bem chato pq fica vários pequenos machucados neles. Eu to conseguindo diminuir isso cortando todas as peles que tem alguma pontinha, assim tenho mais dificuldade de puxar elas. cortando elas, eu não me machuco, mas se tiver alguma ponta ai eu acabo puxando e machuca.... Outra coisa q eu to fazendo é sempre que percebo que to começando fazer isso eu pego alguma coisa. Fico com a mão ocupada e isso tb diminui porque se eu vou tentar puxar alguma pele eu tenho que soltar o objeto e se solto o objeto me dou conta do que vou fazer e não faço. Comecei fazer isso pouco mais de uma semana é minhas mãos estão ficando cada vez mais normais, quase que não dá mais para ver os machucados. Vez ou outra acabo fazendo ainda apesar desses truques, mas por estar preocupado com isso, eu percebo mais rápido tb.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Observar-se e se policiar são estratégias mecânicas, mas refletir sobre o que se passa no contexto do dia a dia, é fundamental. O que será que me angustia? O que realmente quero espremer de ruim que está em mim? Trazer estes conflitos para a consistência é elucidar questões que a psicoterapia irá trabalhar, explorar e extinguir esses comportamentos

      Excluir
  13. Tem quase 10anos que eu fico espremendo espinhas e cravos. Decidi parar, mas volto ao mesmo estado. Sou tímida por causa disto, não consigo arranjar um namoro. Os outros me olham torto e zombam da minha face

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um impulso que simbolicamente espreme algo de ruim de si mesmo. Mas o comportamento perde o sentido se não houver uma razão para acontecer, chega a ser tornar um vício. Por isso é tão importante torná-lo consciente.

      Excluir

emo-but-icon

Encontre-me no Facebook

Divulgue nossos textos

Últimos artigos

Psicóloga Carla Ribeiro. Imagens de tema por Jason Morrow. Tecnologia do Blogger.

+Lidos

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Endereço e contato

Consultório de Psicologia em Santos
Av.: Conselheiro Nébias, 444 - conj. 1709
Encruzilhada, Santos/SP
CEP 11045-000
Telefone: (13) 3301-9055

Total de visualizações

item