Transtorno Explosivo Intermitente

Como você reage em situações de raiva? Sente que perde o controle independente de sua vontade? Ao refletir acredita que sua atitude é des...

Como você reage em situações de raiva? Sente que perde o controle independente de sua vontade? Ao refletir acredita que sua atitude é desproporcional ao motivo? Por conta dessas explosões tem prejuízo na sua vida?
O transtorno explosivo intermitente categoriza comportamentos que apresentam inabilidades em gerenciar seus impulsos agressivos. Com isso são levados a ter reações agressivas e impulsivas (não premeditadas) e completamente desproporcionais. Os ataques agressivos não são devidos ao uso de substâncias (ex. álcool, drogas, medicamentos) e nem devido a qualquer outra condição médica ou psicológica. 

A explosões de raiva características do TEI são classificadas em dois tipos: “leves” ou “severas”. As chamadas explosões “leves” são ameaças, xingamentos, ofensas, gestos obscenos, ataque de objetos e agressões físicas sem lesão corporal. Elas precisam ocorrer com uma frequência média de 2 vezes na semana por um período mínimo de 3 meses.

As explosões mais severas são destruição de propriedade/patrimônio e ataques físicos com lesão corporal e precisam acontecer ao menos 3  episódios dentro do período de um ano. Qualquer que seja a natureza da agressão, é comum o paciente sentir arrependimento, vergonha, culpa ou tristeza após a explosão.

Segundo a AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION define o TEI segundo os critérios descritos abaixo:

A - A explosões de raiva característica do TEI são classificadas em dois tipos: “leves” ou “severas”. As chamadas explosões “leves” são ameaças, xingamentos, ofensas, gestos obscenos, ataque de objetos e agressões físicas sem lesão corporal. Elas precisam ocorrer com uma frequência média de 2 vezes na semana por um período mínimo de 3 meses.

B- A magnitude de agressividade expressa durante as explosões recorrentes é grosseiramente desproporcional em relação à provocação ou a quaisquer estressores psicossociais precipitantes. 

C. As explosões de agressividade recorrente não são premeditadas (ou seja, são impulsivas e / ou decorrentes de raiva) e não têm por finalidade atingir algum objetivo tangível (por exemplo, dinheiro, poder, intimidação). 

D. As explosões de agressividade recorrentes causam sofrimento acentuado ao indivíduo ou prejuízo no funcionamento profissional ou interpessoal ou estão associadas a consequências financeiras ou legais.

E. A idade cronológica é de pelo menos 6 anos (ou nível de desenvolvimento equivalente).

F. Os ataques agressivos não são devidos ao uso de substâncias (ex. álcool, drogas, medicamentos) e nem devido a qualquer outra condição psicológica (ex. transtorno depressivo maior, transtorno bipolar, transtorno psicótico, transtorno de personalidade antissocial, transtorno de personalidade borderline, traumatismo craniano, doença de Alzheimer).

A eficácia do tratamento é a combinação de psicoterapia nos moldes da Terapia Cognitiva Comportamental em decorrência da estrutura da abordagem respeitando o contexto dos  impulsivos e suas diversas esferas (biológica, psicológica e social). Em psicoterapia foca-se o desenvolvimento de novas habilidades sociais, com treinos de exposição, na intenção de desconstruir comportamentos e pensamentos automáticos para modular novas estratégias e formas de lidar com a agressividade. 


Postagens relacionadas

Transt. de Habitos e Impulsos 64368633144765830

Postar um comentário

  1. Bem interessante, e esclarecedor, pois nunca achamos que um comportamento explosivo pode caracterizar um tipo de transtorno.

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Encontre-me no Facebook

Divulgue nossos textos

Últimos artigos

Psicóloga Carla Ribeiro. Imagens de tema por Jason Morrow. Tecnologia do Blogger.

+Lidos

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Endereço e contato

Consultório de Psicologia em Santos
Av.: Conselheiro Nébias, 444 - conj. 1709
Encruzilhada, Santos/SP
CEP 11045-000
Telefone: (13) 3301-9055

Total de visualizações

item