Abuso Sexual - Filme: Cisne Negro

O filme Cisne Negro traz em seu enredo um tema subjacente entre mãe-filha, o abuso sexual. Elucidar e desvelar o tema exposto no filme se faz necessário, pois tal como na vida real, o abuso sexual também se mostra velado e camuflado.

Nossa cultura negligencia o abuso de crianças. O impacto, em geral, diante de tal possibilidade se mantém perante o imaginário
coletivo de “boa mãe” ou de “super-proteção” tal como no filme... A cena em que a questão do abuso se torna claro é retratado no ato em que a mãe vestida de hoby questiona para filha se estaria pronta para ela, então subitamente a cena é cortada.

O não reconhecimento desta ligação de abuso entre Traumas infantis e Transtornos da vida adulta será uma dissociação cultural? Permite-se apontar, culpar e configurar a vítima como “doente” rotulando e estigmatizando - de transtorno de personalidade dissociativa - se tira o ser de sua principal configuração social (a família), se abduz a soma de suas experiências da infância a custo de quê? Rótulos são para geléias e não para pessoas! Compreender o contexto e a dinâmica familiar é fundamental antes de se levantar a possibilidade de qualquer diagnóstico.

O filme retrata a violência psicológica, que muitas vezes acompanha o abuso sexual, especialmente em abusos que caracterizam o incesto, o qual exige o vínculo de dependência afetiva. O “incesto pode ser visto como a imposição de atos sexualmente inapropriados, ou como conotações sexuais a um menor para satisfazer necessidade(s) sexual(is) / emocional(is) do agressor(es), que retira a autonomia através do vínculo afetivo. (Blume, 1990)

Quando o abuso sexual ocorre no filme na relação mãe-filha, as necessidades emocionais de Nina são, obviamente, atingidas e a mãe não permite que Nina seja independente. Neste contexto a filha é vítima e passa a ser usada para atender às necessidades da mãe, exercendo o papel de objeto. Esta violência psicológica pode ocorrer sem o componente do comportamento sexual. É às vezes referido como o incesto emocional ou encoberto, pois ressaltar o impacto semelhante. Não há limites, seja na invasão da mãe se intrometendo no banheiro e no quarto, olhando para auto-lesão de Nina sobre suas costas, exigindo que ela retire a roupa. Nina é infantilizada e sexualizada "minha menina doce". Violações de posse perante a autonomia são indícios comuns em sobreviventes de incesto e podem resultar em comportamentos de auto-agressão, isolamento social, extrema passividade/medo diante da figura de autoridade e extrema preocupação com a sexualidade.

No filme somos deixados a interpretar a cena final: a morte como resultado da busca patológica para a perfeição? Ou a única saída que se possa imaginar de abuso, o esforço final de Nina para se libertar? Interrogações de um conflito sem fronteira e que não houve espaço e reflexão para buscar ajuda ou acompanhamento profissional...