Medo e aspectos psicológicos


O medo pode também nos preservar, zelando à favor da nossa sobrevivência. Mas tem outro tipo de medo, aquele que empaca a engrenagem do ritmo vida, sabota os nossos sonhos e nos faz duvidar da própria capacidade, gerando perdas de oportunidade, entre outros.

Já ouvi muita gente dizendo que temos que lutar contra o medo, ser mais fortes que ele para vencê-lo? Arrisco-me a dizer que o medo não deve ser seu inimigo, embaso minha percepção e contuda, acredito justamente que é conhecendo o medo que poderemos nos fortalecer e integrar o arquetipo de sombra. Para Jung a cura e a liberdade pessoal é possível quando tomamos consciência e enfrentando nossas sombras.

É preciso conhecer a fundo o próprio medo para então trabalhar estratégias de aproximação, dialogar com as próprias  angústia e tomar consciência das dimensões reprimidas, onde se escondem os instintos, a violência, a raiva, o ódio…

Se os escondemos, esses "demônios" internos adquirem maior ferocidade e, se os silenciarmos, eles acabarão nos controlando, projetando sobre os outros, em muitos casos, uma imagem de nós mesmos que não gostamos.

Autoconhecimento é a consequência que a psicoterapia proporciona, a ferramenta adequada do psicólogo para conhecer e aprofundar com o paciente no desenvolvimento de estratégias de aproximação e superação dos medos e de aspectos mais sombrios da personalidade.

Não tenha medo ou vergonha, procure um psicólogo. Há tempo, vem viver com saúde mental. Cuide-se bem e vem para psicoterapia você também❤