Prejuízos e dificuldade na memorização

Todos nós em algum momento esquecemos algo, um compromisso, uma data de aniversário ou a localização de um objeto. Esses esquecimentos ...

Todos nós em algum momento esquecemos algo, um compromisso, uma data de aniversário ou a localização de um objeto. Esses esquecimentos são naturalmente aceitos em jovens adultos e não trazem maiores problemas. É verdade que com o envelhecimento de nosso organismo, como um todo, apresenta uma diminuição gradativa de várias funções, existindo uma dificuldade progressiva em armazenar algumas informações. A este estado é denominado o (PMAI) Prejuízo de Memória Associado à Idade, uma alteração em que possivelmente estaremos sujeitos com o caráter da idade, mas que não interfere nas atividades de vida diária e tão pouco representa deficiência mental.

Passível de ser contornado o PMAI por meio de exercícios inseridos na rotina que estimulem a atenção, com elaboração de lista de afazeres; jogos de memória com associações de fatos, objetos, nomes e fotos, por exemplo contribuem para a melhora progressiva.

A memória é um conjunto de funções e regiões de nosso cérebro. Para memorizar algo há três etapas distintas a se percorrer:. A primeira delas é a codificação da informação, não adianta decorar, é necessário compreender para assimilar; a segunda etapa é o armazenamento e consolidação da informação, nisso crenças  são prejudiciais como por exemplo, “química é chato” só dificulta;  e a terceira etapa é a recuperação da informação, associando o conhecimento ao uso da vida real.
Conheça os diferentes tipos de memórias:
*Processual: quando aprendemos a andar de bicicleta e jamais esquecemos;
*Visual: aquela que registra rostos e marca lugares que estivemos;
*Episódica: registra acontecimentos de nossa vida;
*Topocinética: grava movimentos e registra a posição do corpo no espaço;
*Semântica: guarda as palavras, os raciocínios e o sentido das coisas.

Conheça alguns exercícios para aprimorar sua memória:
Habilidade Verbal: Escreva cartas, pequenas histórias ou poemas. Faça uso de um dicionário para buscar e consultar palavras e seus significados. Leia livros clássicos e proporcione a si um modo diferente de se relacionar-se com seu idioma. Crie seus próprios jogos de palavras, como anagramas e cruzadas.
Habilidade Espacial: Arrisque-se a representar um objeto no papel com suas dimensões, ofereça-se para ler e orientar-se no mapa em viagens longas ou complicadas. Tente formar e representar imagens em sua mente ao ler livros ou ao ouvir uma música.

Habilidade Numérica: Exercite fazer contas “de cabeça” sem o auxílio da calculadora, treine converter itens no supermercado para a moeda de outro país. Tenha frases ou nomes de pessoas famosas que admire para auxiliá-lo a gravar senhas e números de telefones.

Os problemas de memória podem estar associados a inúmeras causas, sendo as mais comuns: o estresse que produz cortisol e noradrenalina, hormônios inimigos da memória; traumas psicológicos e recalques, situações e experiências esquecidas devido a dor e ao sofrimento em recordá-las; ansiedade e depressão; cansaço; o uso abusivo de álcool e outras drogas; o uso indevido de medicamentos como hipnóticos ou calmantes; problemas de ordem nutricional ou orgânica, etc.  E vale "lembrar" que a queda do desempenho da memória também tem relação com alterações da visão e audição.

A perda de memória é uma condição progressiva e sua intensidade depende da gravidade e região afetada. Os sintomas de perda de memória podem variar entre:
*Ficar perdido em lugares onde está familiarizado;
*Fazer a mesma pergunta muitas vezes;
*Confusão sobre o tempo, lugar e pessoas;
*Incapacidade para lembrar-se de compromissos e engajamentos;
*Não encontrar as palavras certas para se comunicar;
*Alterações de humor e comportamentos sem motivo aparente;
*Perder pertences importantes com boa regularidade tais como: carteira de documentos, chaves, celular e etc.;
Quando os esquecimentos deixam de ser habituais e facilmente compensáveis com artifícios como anotar recados, por exemplo, passando a dificultar em muito as atividades do cotidiano, necessitando da ajuda de terceiros, aí sim, transforma-se em uma real preocupação. Assim, uma avaliação clínica e neuropsicológica para a detecção e interveção da causa podem ser necessárias.

Postagens relacionadas

Transt. Memória à demência 8742454428387793326

Postar um comentário

  1. Gostei do comentário dos diferentes tipos de memória...

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Encontre-me no Facebook

Divulgue nossos textos

Últimos artigos

Psicóloga Carla Ribeiro. Imagens de tema por Jason Morrow. Tecnologia do Blogger.

+Lidos

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Endereço e contato

Consultório de Psicologia em Santos
Av.: Conselheiro Nébias, 444 - conj. 1709
Encruzilhada, Santos/SP
CEP 11045-000
Telefone: (13) 3301-9055

Total de visualizações

item